top of page
  • rrm323

Os inventores brasileiros e a “Síndrome do Milhão”

É incrível a quantidade de pessoas que eu conheço que deseja inventar algo muito bom e vender a patente, ganhar uma fortuna com isso e se aposentar. Isso até é possível, mas não é fácil, exige conhecimento de mercado, paciência e uma boa dose de sorte. O maior problema que vejo nos inventores brasileiros é a “Sindrome do Milhão“. Não conseguiria contar quantos já nos procuraram com inventos de todo tipo, bons, ótimos e absurdos, todos achando que iriam vender a patente pela cifra mágica de UM MILHÃO DE REAIS. Bem, eles esquecem que há um processo enorme que precede o produto no balcão/prateleira. Primeiro terá que ser feita uma análise preliminar de mercado, depois feitos moldes, formas, máquinas terão que ser adaptadas ou até “inventadas” para a produção, fornecedores e materiais terão que ser selecionados, daí uma nova avaliação de mercado – desta vez sabendo o custo e, por consequência, o preço final do produto. Imagine que alguém invente uma máquina de preparar salada. Ela prepara todo tipo de salada, tomate, alface, pepino, pimentão, etc… lava, descasca, corta e higieniza – fantástica, certo? Como hoje em dia todo mundo quer ser saudável, o público-alvo é imenso, falamos de dezenas de milhões de brasileiros, certo? Mas se essa máquina fantástica custar R$ 100.000,00 – vale a pena produzí-la? Bem, mesmo em produtos baratos o problema da Síndrome do Milhão pode acontecer… O Clip de papel (esse que usamos para prender algumas folhas) tem sua invenção atribuida ao Norueguês Johan Vaaler, para saber mais da história dele e o que o Clip de Papel representa para a Noruega (lá existe até um monumento em seu louvor), clique aqui. O que poucos falam e eu não consegui achar agora o texto original (se encontrar posteriormente eu adiciono aqui) é que esse inventor morreu sem ganhar um único centavo por seu invento, apesar de tê-lo protegido primeiramente na Alemanha e (diz a lenda) posteriormente nos EUA onde há o maior consumo deste produto. Reza a lenda que ele queria um valor absurdo pela patente, então, as empresas que poderiam ter sua licença ou até comprá-la simplesmente esperaram a patente vencer (sim, patentes tem um prazo de validade!) e depois passaram a produzir, sem a necessidade de pagar nenhum royaltie. Veja mais alguns links sobre o Clipe de Papel: O clip teve que esperar 600 anos para aparecer Ícones do Design: Clipe de Papel É isso que acontece com PATENTES VENCIDAS, você pode produzir sem pagar nada ao inventor. Então, se você é inventor, CUIDADO COM A SÍNDROME DO MILHÃO! Se você é empresário, que tal dar uma olhada nas patentes vencidas? Pode ter alguma coisa interessante para sua empresa…

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Sua marca não vale nada!

Se a maioria faz uma coisa é porque esse deve ser o caminho a ser seguido, não é? Então, se a maioria não registra a marca, isso é o que deve ser feito. Mas não se preocupe, essas empresas que registr

A quem pertence Deborah Secco? Tadinha dela!

Sites com o nome da estrela da novela das oito não pertencem à atriz, pois foram registrados por outras empresas. Outras marcas famosas enfrentam problemas parecidos. Quem assiste à novela das 8 “Amér

Commenti


bottom of page